Bruno Marchena

Biólogo com atuação na área de ecologia de comunidades, apaixonado por pedagogia libertária e saberes de comunidades tradicionais. Fã de jogos infantis, experts, de controle de área e alocação de trabalhadores, atualmente derretido por Projeto Gaia, Rising Sun e Scythe. Aguardando uma revanche em Skyline 3000.

A feiura eletrizante em Power Grid

A feiura eletrizante em Power Grid

6 minutos Pense num jogo feio. Ele precisa ter o tabuleiro feio, cartas feias, componentes feios e o dinheirinho de papel igualmente feio, parecido com aquela folha áspera e rosa de papel higiênico de rodoviária. Até aquele carinha desenhado na caixa, que deveria ser o galã do jogo, tem que ser tremendamente feio. Imaginou este jogo? Power Grid! Calma, calma lá! Eu quero justamente explicar para vocês como é que um jogo conseguiu, de tão feio, dar choque (era este o seu objetivo)! Um Leia mais

King’s Gold: pequeno, mas libertário!

King’s Gold: pequeno, mas libertário!

7 minutos Para quem adora board games é sempre uma saída para a abstinência ter em mãos jogos rápidos e pequenos, daqueles que podemos sacar a qualquer hora do dia e em qualquer mínima interação social. Tem que valer para qualquer situação: ponto de ônibus, fila do SUS, casamento da tia, mesa de bar, intervalo do almoço, aniversário das crianças, lua de mel e por aí vai… – Ei! Ei, moço! Que horas são? – Hora de jogar King’s Gold, minha senhora! Buscando por Leia mais

Rising Sun e o magnífico budô da treta

Rising Sun e o magnífico budô da treta

10 minutos Com uma série de lançamentos de 2019 ainda pautando as discussões do universo dos board games e com as especulações de lançamentos para 2020, venho resenhar sobre um jogo de 2018 que merece uma atenção especial. Estou falando de Rising Sun, onde a honra e as imposturas caminham sempre juntas. Se você está acostumado com aquele estereótipo do Japão feudal com Samurais e Daimyos de honras inabaláveis, se você espera encarar os seus adversários sempre com retidão, respeito e lealdade, se você Leia mais

No dia das crianças, vá ao barbeiro com Leo!

No dia das crianças, vá ao barbeiro com Leo!

8 minutos Se para nós, adultos, mesmo com a grande quantidade de informações disponível sobre board games, já passamos a roer as unhas e arrancar os cabelos calculando os riscos, custos e benefícios para a compra de um jogo, não queiram imaginar o sacrifício que é escolher jogos para crianças. Com o metabolismo em alta voltagem, a vontade de correr e de virar o mundo de cabeça para baixo, fazer com que estes microsseres consigam destinar intermináveis 10, 20 ou 30 minutinhos focados até Leia mais